Leite faz mal? Tire agora suas dúvidas sobre o assunto!

Nós nascemos, crescemos e sempre ouvimos que o leite é essencial em uma alimentação, pois é fonte de proteína e cálcio, que são propriedades muito importantes para o nosso organismo. Mas será mesmo que isso é verdade? Você já ouviu dizer que leite faz mal?

Acreditamos que você já deva ter ouvido alguns boatos por aí, mas nunca conseguiu entrar em um consenso sobre o assunto, não é mesmo? A verdade é que o leite e seus derivados estão engessados em nossa rotina alimentar e só de pensar em ficar sem ele pode até te causar um certo incomodo. Queijo, iogurte, creme de leite, leite condensado, como viver sem?

Neste artigo, apresentaremos para você o que pesquisas dizem sobre o leite, se ele é mocinho ou vilão da nossa alimentação. Preparado? Então vamos lá!

O leite materno

Assim como todos os mamíferos, nós, humanos, quando nascemos, tomamos leite de nossas mães. É o líquido essencial para nosso desenvolvimento e feito especialmente para nós. A organização mundial de saúde indica que um bebê tome exclusivamente só leite materno até os 6 meses de idade e mantenha a amamentação até os 2 anos, intercalando com outros alimentos ricos para nosso desenvolvimento.

Após os 2 anos, o leite materno ainda é bem-vindo, porém, não oferece todos os nutriente que a criança precisa ao longo de seu crescimento, por isso acontece o desmame e consequentemente o leite da mãe seca. A partir daí, deveríamos parar de tomar leite, é a nossa natureza.

O leite de vaca

Assim como nós, as vacas também são mamíferos e quando dão à luz, seus filhotes precisam se alimentar do leite que elas produzem para se desenvolverem e se tornarem vacas ou bois adultos. Os bezerros mamam até os 4 meses de idade e depois disso já começam a comer outras coisas e o leite da vaca seca, assim como das mamães humanas.

Depois disso, nenhuma vaca ou boi consomem leite na fase adulta, é a natureza deles.

A indústria do leite

A indústria do leite contraría a natureza. Tanto a das vacas quanto a nossa. Somos mamíferos e precisamos tomar leite até uma certa idade para nosso desenvolvimento, depois disso, não se faz mais necessário. As composições do leite não refletem mais ao que nosso organismo precisa.

Somos bombardeados de comerciais, médicos que são patrocinados para falarem em rede nacional o quão bem o leite faz para nossa saúde, quando na verdade há estudos que indicam que o leite faz mal.

Mas o fator principal para nós ainda estarmos sendo submetidos ao pensando de que o leite é um bom alimento, é o capitalismo. Já falamos em outro post que o agronegócio causa impactos extremamentes negativos para o nosso país, para fazer o dinheiro girar e nossa economia ficar ativa. Mas, a qual custo você acha que precisa compactuar com essa indústria?

Como é produzido o leite

Lembra que as vacas só produzem leite para seus bezerros? Pois bem, se você toma leite de vaca, está tomando um leite que deveria estar sendo ingerido por uma vitela. Infelizmente você não está dividindo esse líquido com o pobre filhote que precisa de leite para se desenvolver.

A indústria do leite faz inseminação artificial nas vacas a cada 4 meses, que é o tempo em que elas ainda produzem leite para amamentar humanos seus filhotes. Assim que seu filhote nasce, eles são separados, imediatamente, para que ele não consuma nosso precioso líquido. Tanto a mãe quanto o bezerro choram por até 21 dias seguidos, sofrendo por estarem separados. Mas tudo bem, não é? O importante é termos leite em nossa mesa no café da manhã.

Como se não bastasse, se o filhote é macho, é criado por mais alguns meses para virar carne de vitela (abatido ainda filhote), e as fêmeas terão o mesmo destino da mãe.

Vacas leiteiras ficam confinadas em espaços mínusculos, onde só conseguem deitar e levantar. Vivem numa espécie de gaiolas que possuem equipamentos ligados diretamente em suas tetas para sugar seu leite, dia e noite. Esse processo causa inflamação, fazendo secreções de pus e sangue “contaminarem” o leite que será comercializado. Além disso, elas precisam tomar antibióticos, hormônios, pesticistas e inseticidas, para conseguir liberar a quantidade de leite que a industria precisa vender.

Quando não conseguem mais suprir às necessidades humanas com seu leite, todas elas tem o mesmo fim: o abate.

Malefícios do leite de vaca

Há esse ponto, você já deve imaginar que esse artigo só vai explicar que o leite faz mal, não é mesmo? Até agora você viu que só precisamos do leite materno e que as vacas sofrem um tanto para que você consuma um líquido que não supre suas necessidades fisiológicas.

Entretanto, há estudos que indicam coisas muito piores e que apresentaremos agora.

Piora a osteoporose

Sim, você não leu errado. Segundo estudos da BMJ — British Medical Journal — um dos jornais mais influentes e conceituados sobre medicina no mundo, o leite não oferece nenhum benefício ao ossos, na verdade seu consumo exagerado oferece maior risco de fraturas ósseas e mortalidades.

O que acontece é que o leite possui D-galactose, uma substância que causa inflamação crônica, oxidação, resposta imunológica diminuída, neurodegeração, entre outros malefícios.

Aumenta o risco de câncer de mama e gastrointestinal

Sabe o hormônio inserido nas vacas leiteiras para fazer com que elas produzam mais leite? Esse hormônio se chama rBST, que além de causar dor desnecessária e angústia ao animal, nos presenteia com um aumento de células que podem causar câncer de mama e gastrointestinal.

Esse hormônio foi banido na Europa, Japão, Austrália, Nova Zelândia e Canadá, nos anos 2000. O Brasil, claro, continuar permitindo, assim como os Estados Unidos.

Deficiência de ferro

Existe uma relação entre o leite da vaca e a anemia ferropriva na infância. Isso se dá pelo fato do leite da vaca possuir muito mais cálcio que o leite humano, cerca de quatro vezes mais, que dificulta a absorção de ferro. Então quanto mais cedo uma criança ingere leite de vaca, maiores são as chances de deficiência de ferro.

Além disso, o leite de vaca pode estar associado à perda de sangue nas fezes, o que também contribui para anemia.

Doenças cardíacas e diabetes tipo 1

Já fizemos um post aqui falando sobre um estudo da Universidade de Oxford sobre uma projeção onde todas as pessoas se tornassem veganas e um dos dados era a diminuição por mortes relacionados a doenças cardíacas e diabetes tipo 1.

Além desse estudo, o Dr. T. Collin Campbell junto com seu filho Tomar M. Campbell, fizeram um outro estudo que durou 20 anos e resultou no livro The China Study, que revelou que o excesso de proteína de vaca, além de causa câncer, causam doenças cardíacas e diabetes tipo 1.

Isso acontece porque as proteínas do leite da vaca desencadeiam reações autoimunes, que levam a destruíção das células do pâncreas, que produzem a insulina.

Como você viu, há indícios científicos que confirmam que o leite faz mal, então que tal você repensar esse consumo? Sabemos que é uma desconstrução de uma vida inteira, mas aos poucos você consegue deixar de consumir um alimento que não foi feito para você.

Para ficar por dentro de mais textos como este, assine nossa newsletter e receba semanalmente conteúdos que farão você repensar como está vivendo hoje e como pode melhorar o mundo, não só para você, mas para todos que vivem nele.

Bianca SilvaLeite faz mal? Tire agora suas dúvidas sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *